quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

VOYEUR II

Pensei, pensei, pensei. Eu tinha de lhe dar uma resposta baseada na razão e no bom senso. Tive que pesar nos prós e nos contras de toda aquela maluquice de Durval. Pensava ora na minha moral, ora nas coxas de Isadora. Ora no meu caráter, ora nos seios redondos e rijos de Isadora. Então, com a mais perfeita das conclusões, me baseando na lógica, fui firme:
- OK! Eu aceito!

Eu tinha ciência da merda em que me metia. E como tinha. Pensar com a cabeça errada sempre me metia em encrencas. Eu era mestre nisso, já que a cabeça certa pouco funcionava.
- Ótimo, Fábio. Agora precisamos aproximar vocês.
- Aí é que está o problema, Durval. Quantos anos sua filha tem?
- Dezenove.
- Ufa! Pelo menos já é maior de idade. Mas pense bem, Durval. O que uma menina de dezenove anos verá num quarentão? Pior: Num quarentão como eu. Duro e desinteressante!
- Isso é o de menos, Fábio. Ela não sabe da sua vida! Podemos criar uma bem atraente para você.
- Criar uma vida para mim? Mentir? Ora, Durval, eu não te entendo. Quer que eu minta, quer que eu transe com sua filha e quer... ver? É isso? Repito: Ela é sua filha, Durval! Estou assustado.
- E o que você quer que eu faça? A agarre? Na minha cabeça, ver um ato sexual de minha filha me saciará a vontade que tenho de... você sabe. Não consigo falar.
- Entendo. Mas você acha mesmo que isso saciará sua vontade? Não acha que isso não fortalecerá ainda mais esse... distúrbio?
- Não é distúrbio, Fábio!
- E o que é? Uma atração sexual pela própria filha, Durval? Desculpe-me, mas precisa de um tratamento, não de voyeurismo.
- Olha, quanto a mim, deixe que me viro, OK? Tudo que tem a fazer é... você sabe.
- Durval, não vou negar. Estou aceitando sua proposta porque a sua filha é um arraso, viu? Mas tenho medo.
- De quê?
- Um dia ela terá de saber a verdade sobre mim, Durval.
- Detalhes.
- Detalhes? Espero.
- Como eu disse, precisamos aproximar vocês.
Dizia Durval com certa fissura ao olhar para Isadora. Eu me assustava ainda mais.
- Está bem, mas quem é aquele cara ali próximo a ela? Parece estar interessado na sua filha, não? Olha como ele fala ao ouvido dela! E ela ri!
- Aquele ali é um imbecil. O nome dele é Lucas, se não me engano. Vive atrás de Isadora, mas é carta fora do baralho. Palavra!
- Sei.

Durante a festa, Durval me mantinha informado de tudo que eu teria de dizer a Isadora para que despertasse o mínimo de interesse por parte dela. Eu seria um fotógrafo. Na farsa, fotografava para as melhores revistas, jornais e campanhas publicitárias. Isso seria um elo para uma tarde de fotos, talvez. A menina era bem vaidosa e já havia feito alguns trabalhos como modelo. Durval parecia já ter toda aquela idéia na cabeça. Como alguém pensaria em tudo aquilo ao mesmo tempo em que falava?
- Mas eu não sei nada de fotografia.
Eu dizia.
- Dane-se. Ela não precisa ver foto alguma. Isso será apenas uma forma de vocês estarem sozinhos.
- Mas eu não tenho câmera, Durval. Muito menos um estúdio de fotografia.
- E quem disse que precisa disso? Eu tenho tudo isso. Minha marca possui todo o aparato para produzir as campanhas, fotos...
- Ah! Sim! Entendi.
- Você usará o meu estúdio, Fábio.
- Mas Durval, eu não sei fotografar!
- E quem disse que ela precisará ver as fotos? Tem de traçar a menina antes mesmo das fotos.
- Isso não vai dar certo.
- Eu conheço minha filha, Fábio. Aquilo ali é interesseira que só. Eu farei bem a sua fama com ela. Entrará no estúdio já encantada por sua pessoa. Acredite!
- Não sei, Durval. Ainda sinto medo.
- Relaxa. Dará tudo certo.

* * *
No dia seguinte, conforme mais tarde me disse, Durval conversava com Isadora a respeito de minha pessoa. Estava disposto a “fazer a minha fama”. Coisa que eu acreditava não ser o suficiente para nada do que Durval objetivava.
- Filha, você lembra daquele moço que lhe apresentei ontem, na festa?
- Sim. Acho que sim. Flávio, não é isso?
- Quase. Fábio é o nome dele. Fábio Camargo. Já ouviu falar dele, não?
- Não, pai. Fábio Camargo? Nunca! Por quê? É irmão do Zezé Di Camargo?
- Que irmão do Zezé Di Camargo, filha? Fábio Camargo é um dos fotógrafos mais requisitados desse país. E no exterior também.
- Isso tudo? Aquele cara é isso tudo?
- Nem parece, não é mesmo? Ele é bem humilde ao se vestir.
- Diferente para um fotógrafo com esse currículo, não, pai?
- Pois é. Ser diferente é o que faz de Fábio esse sucesso que ele é.
- Hum...
- Bem, o que eu queria lhe contar é que ele te achou muito bonita e gostaria de fotografá-la. O que acha?
- Jura?! Será que ele pode me dar uma força na minha carreira de modelo?
- Não só pode como já me garantiu isso em conversa.
- Ai, pai! E quando ele quer fotografar?
- O quanto antes. Eu marco com ele direitinho.
- OK!
Isadora saía daquela conversa com a cabeça cheia de idéias e sonhos. Quem não sairia? Durval sabia mentir. Talvez por isso tinha Olga ao seu lado. O homem deve mentir para conquistar a fêmea. É como os animais. O pavão mostra sua calda, os macacos fazem sei lá o que e os homens mentem. Caso o homem seja verdadeiro, causará repulsa. É da natureza do homem ser nojento e asqueroso.

- Alô!
- Fábio? É Durval!
- Diga, Durval.
- Já falei com ela tudo aquilo que combinamos. A menina está no céu! Está confiante de que você dará um empurrão em sua carreira de modelo.
- Como tem coragem, Durval?
- Cara! Não pense que está sendo fácil fazer isso, OK? Eu preciso me libertar dessa coisa e sei que será dessa forma que conseguirei.
- Bem, e qual o próximo passo?
- Vamos marcar essa tarde de fotos para amanhã, pode ser?
- Tudo bem.
- Anote o endereço do estúdio. (...) Não haverá ninguém por lá. Apenas eu, claro. Escondido.
- Espere aí! Você quer que eu transe com sua filha no estúdio? No primeiro encontro? Ela seria tão fácil a esse ponto, Durval?
- Bem, eu confio em você. Como eu disse, ela está no céu. Faça uso dessa vantagem.
- Ela deve ser virgem, Durval.
- E se for? Qual o problema? Ah! E use camisinha, viu? Não quero ser avô tão cedo.
A naturalidade de Durval me dava nojo, mas o tesão que tinha por Isadora, ainda maior que o dele, me mantinha naquele jogo sujo.
- OK. Vamos ver o que eu consigo, então.
- Então, amanhã às três.
- Confirmado.

[Continua]

6 comentários:

Nathalia disse...

:O
não sei o que dizer...
durval é nojento!

Rodrigo França disse...

rs...realmente, Durval é fdp, Fabio coitado ta caindo no jogo dele, rs, tenho certeza que vai dar merda.
Coitada de Isadora, masssss.....

aguardamos a parte III ...

Parabéns Lu.... abraçoss

Obs: Não, pai. Fábio Camargo? Nunca! Por quê? É irmão do Zezé Di Camargo?

uahuauha

Fabiana disse...

eita, seu durval! q coisa feia, han?! tsc tsc tsc

Lucas Moratelli disse...

Ptz, Durval não presta!

"aguardamos a parte III" [2]

Abraço.

E parabéns pela apresentação na rádio!

Anônimo disse...

Tá lendo muito bukowski em irmão!
Parabéns!
Henrique.

Aninha disse...

não sei quem é o pior, se é Durval ou Fábio.
concordo com o comentário anterior hahaha
tbm aguardo a parte 3

bjos