segunda-feira, 17 de novembro de 2008

DUAS IV - Má Notícia

Luana e Giovanna passavam aquela tarde e o início da noite falando sobre poesia. Luana arrastava a cômoda que ficava sob a única janela de seu quarto a fim de que ficassem ali debruçadas olhando para a rua, que vez em quando passava alguém.

Um primo de Marcos estivera pela tarde em seu supermercado para informar a morte de um ente.
- Mas, Plínio! Não soube que prima Arlete estava mal!
Dizia Marcos sem acreditar no que ouvira.
- Pois é, Marcos. Minha irmã já tinha sérios problemas com o cigarro, você sabe, e já vinha sendo avisada por vários médicos sobre o risco que corria por conta do vício. Ela não nos ouvia.
- E o Roberto?
Marcos perguntava a respeito do esposo de Arlete, cunhado de Plínio.
- Ora, o Roberto. Aquele ali é mosca morta, Marcos. Ninguém sabe por onde ele anda faz quase um mês.
- Nossa. E será que não foi esse sumiço que fez com que Arlete piorasse?
- Nada. Arlete vinha se sentindo muito feliz até, por causa do sumiço do traste.
- Que loucura. E eu sem nada saber, primo.
- Ora, Marcos. Você tem seus supermercados para administrar. Imagino as dores de cabeça que já possui. Jamais iria lhe incomodar com essas maluquices de nossa família.
- Bobagem. Mas diga, quando será o enterro?
- Amanhã de manhã. Às nove. Naquele cemitério em frente ao Clube dos Líderes.
- Sei qual é. Estaremos lá. Força, cara!
- Eu estou bem. Como está a Luana? Nunca mais a vi, Marcos.
- Está uma moça já. Já fez quinze anos.
- Nossa. Acho que a lembrança mais recente que tenho de Luana é a dela montando nas minhas costas certa vez.
- Meu Deus. Nem eu lembro disso. Tomarás um susto quando a vir.
- Imagino. Bem, mande um beijo para ela. Deixe-me ir, Marcos.
- Vai lá. Eu te vejo amanhã.

À noite, Marcos chegava em casa e:
- LUANA!
- OI!
Respondia Luana.
- SE JÁ TOMOU SEU BANHO, DESÇA PARA JANTAR!
- ESTOU INDO, PAPAI!
Luana descia com Giovanna, que se despedia de todos.
- Tem certeza que não quer jantar conosco, Giovanna?
- Não, Luana. Obrigada. Minha mãe já deve estar preocupada comigo.
- Janta conosco, Giovanna. Ligue para sua mãe e diga que a levarei em casa.
Sugeria Marcos.
- Isso!
Reforçava Luana.
- Boa idéia!
Dizia Patrícia.
- Ai. Está bem. Mas não vou demorar, OK?
Giovanna aceitava o convite morrendo de vergonha.
- OK! Pode usar o telefone ali na sala, Giovanna.
Dizia Marcos.
- Está bem.
Ela ia.

Enquanto Giovanna telefonava para sua mãe, Marcos comunicava à Luana sobre a morte de Arlete.
- Luana, você se lembra daquela nossa prima, a Arlete?
- Lembro um pouco. Aquela que passava o tempo todo lá na varanda porque fumava muito?
- Exatamente, Luana.
- O que tem ela?
- Faleceu nessa madrugada.
- Meu Deus. Por causa de quê?
- Ela tinha sérias complicações no pulmão por conta do cigarro. Aí...
- Entendi. Que chato. Quando será o enterro?
- Amanhã. Mas você não precisa ir, Luana.
- Mas eu queria ir, papai. Ver minha família. Tanto tempo que não vejo.
- E vai faltar aula?
- O colégio está uma bagunça total, papai. Por causa da Semana de Novos Talentos.
- Entendi. Se não há problemas em faltar, pode ir comigo.
- OK.

Giovanna chegava da sala dizendo estar tudo bem em jantar lá naquela noite. Sua mãe deixara que ficasse.
- Mas o senhor vai me levar em casa, não é?
- Claro!
- Então está bem.

Celeste arrumava a mesa para a família enquanto brincava com Giovanna.
- Sabia que as amigas de Luana que jantam aqui nunca mais se dão bem com as mães?
- Por quê?
- Porque depois que comer de minha comida, não vai mais querer saber da comida de sua mãe.
- Mentira! Giovanna é a primeira a jantar aqui!
Luana dizia e Giovanna ria.
- Luana fala muito bem da senhora.
- A Luana é um anjo. Fala bem de todo mundo.
Giovanna ria mais enquanto notava o quão cheirosa era a comida de Celeste.

Durante o jantar, Luana falava à mesa a respeito das poesias de Giovanna. Causando assim uma imensa curiosidade por parte de Marcos e de Patrícia.
- Poderia recitar um para nós?
- Ora, senhor Marcos. Assim? Tenho vergonha.
- Sem essa, Giovanna. Vergonha de quê?
Dizia Luana.
- Pára, Luana!
Dizia Giovanna sorrindo encabulada.
- Deixa, papai. No dia da apresentação dela, passa lá no colégio. Será lindo!
- Combinado!
Marcos sorria com a empolgação das duas, mas não conseguia tirar totalmente da cabeça a morte de sua prima Arlete.

Após o jantar, Marcos, como prometido, levava Giovanna em casa na companhia de Luana. As amigas foram no banco de trás tagarelando sem parar. Marcos era só seriedade e lembranças de Arlete. Lembrava do tempo em que brincava no sítio de seus avós e de tantos outros episódios ao lado da prima mais velha, que cuidava de Marcos com muito carinho.

Na volta, Luana entendia o estado emocional do pai e procurava se manter em silêncio.
- Pode falar, minha filha.
- É que está tão quieto. É por causa de nossa prima?
- Sim. Mas vai passar, filha.
Luana cobria-se com o capuz do casaco e recostava a cabeça no ombro de Marcos. Num gesto carinhoso o beijava o braço, que apoiava sobre a alavanca do câmbio.

Marcos constatava mais uma vez que Luana não era mais aquela criança que montara nas costas de seu primo Plínio. Aceitara a notícia da morte de Arlete com muita seriedade e extrema noção do ocorrido. Marcos não estava certo se seria uma boa idéia levá-la ao enterro no dia seguinte, mas Luana mostrava maturidade suficiente para que mudasse de idéia poucos minutos depois. Luana tinha o dom de motivar quem a cercava através gestos muito dosados e sempre carinhosos. Marcos sorria discretamente.

[Continua]

* * *
Foto da capa: Ana Claudia Temerozo.
Mais histórias sobre Luana na série LUANA (
Setembro de 2008).

6 comentários:

Anônimo disse...

luana como sempre uma fofa!
=)
quarta tem maaaaaaaaaaaaais!
=)))))))))))))

Fabiana disse...

e não perca o próximo episódio de... DUAS!

Vanessa Sagossi disse...

Ahhhh!!
Juraaa, Luciano??
Eu quero mais!
Posta logo????
heheh

Bjuh!
(:

Livia Queiroz disse...

Adooooooooooooro a Luana...

E como disse a Vanessa Sagossi: "Eu qro mais... POsta logo"
rsrs

bjaum

Aninha disse...

hahaha, tbm qro mais!!
to adorando, esta cada vez melhor !

:)

jαnα ¦D disse...

Reunindo-me ao coro: quero maaaais :D
E a Luana é realmente muito querida...meiga e madura ^^

Abraços
='-'=