segunda-feira, 22 de junho de 2009

1983 pt.2: O Pedido

Diante daquele primeiro beijo em Viviane, em plena arquibancada da escola, não restava nada a mim e a ela a não ser declararmos a nossa imensa e recíproca vontade de iniciarmos uma história juntos.

- Como esperei por isso, Viviane!
- Eu também, Bruno!
- Falo do nosso beijo!
- Sim, também estou falando do beijo!
- E quanto à vitória de Diogo no concurso de dança?
- Também, claro! Mas esse beijo... Quero outro!

Eu a beijava!

Dali por diante, os encontros na casa de Diogo tiveram um interesse a mais; era lá que namorávamos. Mas mãe de Diogo sempre nos dizia para contarmos aos nossos pais e:

- Seus pais sabem que vocês estão namorando?
- Ainda não, D. Odete, mas em breve saberão – eu dizia.
- Não gosto disso, Bruno. Estão se encontrando na minha casa. Sinto-me responsável por vocês. Prometam que, HOJE, comunicarão aos pais de vocês!

Viviane e eu nos olhávamos e:

- Sim! Prometemos! – dizíamos.
- OK!

Ao sairmos da casa de Diogo naquele dia, logo na primeira calçada que nos testemunhara, disse à Viviane que não achava uma boa ideia contarmos aos pais dela, principalmente. Eu lembrava da última vez que os vira. Eram conservadores ao extremo. Não queria passar pela prova de fogo que seria agradá-los, ou, até mesmo, convencê-los de que estávamos namorando diante das melhores das minhas intenções.

- Meus pais não são esses “monstros” também – dizia-me Viviane.
- Eu sei, mas... Tenho medo de que eles nos proíbam de namorarmos...
- Bem, você de fato é o meu primeiro namorado e...
- Pois é...
- Mas eu já tenho quinze anos, Bruno! Eles têm que aceitar a situação!
- Sim, concordo.
- Então! Hoje mesmo, falarei com eles!
- Falarei com os meus pais também, Viviane.
- Faça isso!

Despedíamos-nos e, durante o trajeto, concluí que Viviane tinha mais gana em “oficializar” esse nosso namorico que eu mesmo.

À noite, em casa, cheguei até meus pais.

- Pai, mãe... Lembram da Viviane?
- Não – dizia secamente meu pai.
- Você é capaz de não lembrar, pai, mas minha mãe se lembrará. Ela esteve aqui há um tempo atrás para fazermos um trabalho da escola, lembra, mãe?
- Ah sim – respondia minha mãe –, o que tem ela?
- Então, Viviane e eu estamos namorando.
- Que bonitinho! Meu filho está namorando! – dizia minha mãe.
- Quero conhecê-la, pode ser? – dizia meu pai.
- Claro. Assim que der eu a trago aqui. Quer dizer, se os pais dela concordarem com nosso namoro.
- Ah, vão sim! Você vai ver! – dizia minha mãe confiante.
- Assim espero – eu respondia.
- Ela é bonita? – perguntava meu pai.

Bonita? Viviane era a menina mais linda da minha classe! Ela tinha os cabelos negros e ondulados até a altura do meio das costas. Eu gostava quando ela prendia aqueles fios num imenso rabo-de-cavalo! A pele era nem branca nem morena demais. Nem sei explicar aquela cor. Mas se havia algo que me fascinava na Viviane eram suas curvas. Claro que, hoje, quarentão, lembro dela com um corpo ainda muito infantil até, mas, para um garoto de quinze anos, aquilo era lindo demais! E os olhos? Castanhos claros, mas tão claros que eu seria capaz de enxergar neles a minha feição de adolescente bobo.

- Pai, ela é linda!
- Meu garoto.
- Carlos! – reprimia-o minha mãe.

* * *
No dia seguinte, Viviane e eu nos encontrávamos na escola.

- Como foi com seus pais? – ela perguntava.
- Tudo bem. E com os seus?
- Mais ou menos. Eles querem falar com você, Bruno.
- Eu sabia!
- Calma! Eles parecem ter aceitado numa boa. Só que querem falar com você.
- Quando?
- Hoje! Disseram que não devo beijá-lo até que fale com eles.
- Nossa...

Eu seria capaz de enfrentar o capeta para voltar a beijar aquela boquinha.

- E então? – Viviane perguntava.
- OK! Estarei lá esta noite!
- Fofo!

* * *
Naquela noite, lá estava eu diante dos pais de Viviane.

- Diga-me, garoto, o que lhe traz aqui? – perguntava o pai de Viviane.
- Bem, como vocês já devem saber, Viviane e eu nos gostamos muito e...
- Sim, mas pulando esse clichê, quais as suas intenções com ela? – interrompia-me o pai de Viviane.
- As melhores possíveis, Sr. Daniel.
- OK! Você pode namorar a minha filha.

Eu estranhei. Assim tão fácil?

Foi quando o Sr. Daniel me chamou até o seu escritório.

- Bruno, não é? – perguntava-me.
- Sim. Bruno.
- Bruno, eu vou lhe dizer uma coisa de homem para homem, pode ser?
- Claro.
- Pode parecer tudo bem para mim o que está acontecendo entre você e a Viviane, mas fique sabendo que se eu souber de algum “avanço” de sua parte, caço-o até o inferno! Entendido?
- Sim, claro que sim, Sr. Daniel.
- OK!

Foi a partir daí que, diante de um ódio mortal ao Sr. Daniel, eu resolvi que faria de Viviane a menina mais feliz do mundo. E fiz! A felicidade dela contagiou os seus pais a ponto do Sr. Daniel, certo dia me dizer:

- O que está fazendo com minha filha, rapaz?
- Como assim? – eu perguntava.
- Ela anda muito “feliz” para o meu gosto!
- Isso, Sr. Daniel, é apenas o efeito de minhas intenções!
- ...

Os minutos de silêncio do pai de Viviane me diziam que eu ia bem.

[Continua]

10 comentários:

Lucas Moratelli disse...

Esses namoros adolescentes...

Será que alguma coisa trágica acontece?
Quero animação. ^^

Abraço Luciano.

Fabiana disse...

ahhhh
tou gostando!!

jαnα ¦D disse...

Hm...pois é, tenho que admitir que eu também estou desconfiada quanto a um possível acontecimento trágico :D

Abraços
='-'=

Dayanna Louback; disse...

cade a ação?!
oeieoieieeoi
adoorei.. super fofo!
*-*

rs
;*

Rafael Garça disse...

Não, não... sem tragédias! Rsrs.
Também estou adorando.

Grande abraço!

jiancarlo disse...

Hehe..
Parece a história do começo do meu namoro..rsrs

Ingrid Normando disse...

cade o fim? Estou curiosa!!!

Acho que ela morre!!

Nathalia disse...

ooo, não sumi, não, viu?
to lendo os contos, mas ando trão sem tempo que n to podendo comentar smp...rs

aaai, mas to amando!
tão fofos!

"acho que ela morre"
creeeeeeeeeeedo, o luciano não seria capaz de escrever algo assim, SERIA? hahaahhaa

beijos

Livia Queiroz disse...

ADOLESCENCIAAAAAAAAAAAAAAAAA

Saudade da minha...
Namorar escondido hehehehe

E esse Pai a Vanessa até se parece com o meu(qnta burocracia , meu Deooos) rsrsr


Bjaum!


Passa no CL
http://liu-loren008.blogspot.com/


bjoks

C. disse...

Fala Luciano, te indiquei a um selo...

www.indio-indie.blogspot.com
(ex. alternativa vida)