segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

ALEJANDRA Y EL VERANO #1

As malas não eram muitas; apenas duas. Mas sua vontade de começar uma nova vida era enorme e não caberia nem mesmo em duzentas malas. A caminho do apartamento de Lysa, Gabriela carregava, além de roupas, um coração a mil, que quase lhe saltava pela boca. Ao tocar a campainha, cessou a espera de Lysa, que, eufórica, a atendeu dizendo:

- Não acredito, Gabriela! Conseguiu!

- Quase rolou porrada, Lysa, mas, enfim, consegui sair de casa! Minha mãe ficou uma fera, mas... Seu convite ainda está de pé, não é?

- Claro que está, meu amor, claro que está! – dizia Lysa antecedendo o beijo, ainda na porta do apartamento, selando a união das duas.

Lysa e Gabriela haviam assumido o namoro fazia alguns meses [vide Lysa23 – Parte Final], para o choque de muitos – na verdade, as únicas que não se chocaram foram as suas inseparáveis amigas Bruna e Joyce, porque de resto... Havia também aqueles que ainda não sabiam, que era a família de Lysa, do interior do estado. “Papai e mamãe se souberem, das duas uma: ou morrem do coração, ou me buscam aqui Rio”, dizia Lysa.

No emprego de Lysa todos já sabiam – e chocavam –, mas havia um que, além disso, ainda não aceitara a opção sexual da amiga: o Fred, que, embora não sentisse mais nada por Lysa [vide Lysa23 – Parte 4], carregava terrível preconceito.

- Vamos até o quarto, Gabriela, que já deixei um espaço para você no armário – dizia Lysa.

Era um domingo de muito calor e, chegando ao quarto, Lysa acabou tendo uma outra ideia:

- Gabriela, é o seguinte: deixe suas malas aqui. Vamos à praia!

- Mas assim, do nada?

- Por que não?

- Então preciso achar um biquíni nessa bagunça primeiro, Lysa.

- Use um dos meus, ora!

Lysa, abria uma gaveta repleta de biquínis – tornara-se uma verdadeira fã das praias do Rio. Na gaveta havia peças de tudo que era cor e estampa. Como Lysa e Gabriela vestiam praticamente o mesmo tamanho, não houve problema algum.

Ambas escolhiam seus biquínis, shorts, blusas e acessórios, tudo de Lysa.

- Um banho? – sugeria Lysa.

- Juntas! – provocava Gabriela.

- Claro!

Após o delicioso e quase eterno banho, Gabriela pegava o celular a fim de ligar para as amigas Bruna e Joyce.

- Bruna?

- Fala, Gabi.

- Lysa e eu vamos à praia! Está a fim?

- Nossa, mal acordei...

- Bruna? Fala sério! Ipanema, topa?

- Ai... minha cabeça... bebi todas, ontem...

- Ipanema, OK?

- OK, Gabi, OK...

- Joyce está aí?

- Sim, na cama...

- Chame ela também!

- OK, a gente se liga lá...

Gabriela desligava o telefone.

- Elas vão? – dizia Lysa ainda a se secar.

- Vão!

Dez da manhã.

As duas preferiram não encarar o ônibus, mas um táxi. De mãos dadas, livres de qualquer tipo de medo, Lysa e Gabriela ganhavam, graciosamente, o calçadão. O caminhar e os sorrisos do casal eram como uma celebração dos dias que estavam por vir; da nova vida que pensavam juntas.

Já na areia, o celular de Gabriela soava; era Bruna:

- Onde vocês estão, suas vacas?

- Perto do Posto 9.

- Ah, já vi daqui a sua pele reluzente – brincava Bruna com a cor branca de Gabriela.

- Vai à merda! Beijo!

Alguns minutos depois, chegavam Bruna, Joyce e mais uma menina. Menina que, até então, Lysa e Gabriela não conheciam.

- Vacas, Alejandra. Alejandra, vacas! – apresentava às gargalhadas Bruna – Brincadeira, Alejandra. Estas são Lysa e Gabriela. Lysa, Gabriela, esta aqui é a Alejandra.

Alejandra era uma jovem mexicana que vivia no Brasil há dois anos. Não dominava o nosso português, mas já fazia suas misturas na hora de se comunicar. A chica era magra porém “no ponto”. Seu tom de pele moreno claro e seus olhos esverdeados... uma loucura. Seus cabelos eram artificialmente louros e lisos; gostava de tranças.

Gabriela fitou os seios – pequenos e lindos, como os de sua namorada –, enquanto Lysa mirou as belas pernas de Alejandra. Gabriela e Lysa logo puxaram Bruna e:

- Onde a conheceram? – interrogou Gabriela.

- Foi ontem – disse Bruna –, numa festa muuuuuuuito louca na casa da Fê! Lembram da Fê, né?

- Sim, lembro... Mas a conheceram ontem e já são... amigas?

- Quase isso, Gabi. A Joyce estava tarada num lance a três, entende? A Alejandra apareceu na hora certa e...

- Quer dizer que dormiram com ela?! – perguntou agora Lysa.

- Dormimos não, né, Lysa? Quem dorme com uma mulher dessa na cama?

Gabriela e Lysa se olharam num misto de espanto e excitação. Não disseram nada uma para a outra, mas, logicamente, imaginaram a cena erótica protagonizada pelas três.

Algo dizia às duas que aquele dia de praia renderia...

[Continua]

3 comentários:

Nathalia disse...

Jesoooooooooooooooos, o que aconteceu com o layout do MEU? vc tem a alma publicitária MESMO! hahaah toda uma identidade visual pra nova série mais HOT de todo o blog! rsrsrs

sobre o conto: AIAIAIAI!

hahaha

beijo

Araujo disse...

Hmmm... Não tô gostando dessa mexicana chamando atenção do casal mais lindo do Muitos Em Um, vamos ver no que vai dar@

hihihihihi...

Fabiana disse...

vixe! parte II promete... rs