quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

QUATRO MAIS UM III

Ronaldo, Ciro, Caroline e Carlos seguiam até a casa do último.
- Dr. Ciro, eu não sei como agradecer e nem como pagar.
Dizia Carlos.
- Esquece isso garoto. Seu empenho em minha empresa vem me gerando lucros bem maiores do que alguns reais. Não se sinta um devedor. Fiz o que achei que deveria fazer.
- Obrigado. O senhor teve muita coragem. Não teve medo?
- Com o dinheiro na mão não tinha motivos para ter medo, Carlos. O dinheiro vence qualquer marginal. Eles queriam o dinheiro, só isso. Agora vão. Vocês têm uma viagem pela frente, já se esqueceram?
- Não. Não sei se há mais clima para viagem. Não depois disso tudo.
Dizia Carlos cabisbaixo.
- Deixem de serem bobos. Têm motivos de sobra para comemorarem. Correu tudo bem. Foi só um susto, não é mesmo, Caroline?
- Pensando por esse lado. Acho que o senhor tem razão, Dr. Ciro.
Soltava Carlos um pouco mais calmo.
- Então, boa viagem para vocês. Vamos Ronaldo, ainda tenho que arrumar as minhas malas.

Chegando em casa. Carlos se dava conta que já faltavam poucos minutos para as oito horas. Carlos ligava para Thiago para explicar o atraso.
- Thiago?
- Fala Carlão! Vamos ou não vamos?
- Thiago, aconteceu uma coisa muito chata.
- Diga!

Carlos contava todo o ocorrido a Thiago. Caroline se encontrava muda. Não dizia uma única palavra.
- Carlos. Estamos indo para aí.
Dizia Thiago aflito.

Chegando à casa de Carlos, Thiago e Sabrina conversavam melhor com o casal e só então entendiam todo o caso. Sabrina tentava acalmar Caroline enquanto Carlos e Thiago a perguntavam como tudo aconteceu. Mas Caroline continuava muda. A menina parecia ter visto um fantasma. Embora tivesse tudo terminado bem, Carlos ainda se preocupava com o estado de sua namorada.
- Não podemos viajar nesse clima, Thiago. Se vocês quiserem ir, tudo bem. Caroline e eu não estamos em condições.
- Carlos, Caroline está em estado de choque, é normal. Amanhã ela amanhecerá um pouco melhor e a gente vê no que dá. Essa viagem mais do que nunca será importante para ela. Ajudará a esquecer o episódio de hoje.
Thiago tentava animar Carlos.
- É. Você tem razão. Amanhã é um novo dia.
Dizia Carlos.
- Eu ligo para a pousada para explicar o ocorrido.
- Obrigado, Thiago.
Agradecia Carlos não muito confiante de que viajariam no dia seguinte.

* * *
A sexta-feira amanhecia com um lindo céu azul e uma brisa fresca em conflito com o calor que começava a se impor. Caroline havia dormido na casa de Carlos, que por sua vez preferia não contar o ocorrido aos pais da menina. Isso poderia colocar sua viagem e a chance de Caroline esquecer de tudo por água abaixo.

Com um beijo em sua nuca, Carlos acordava aquela beldade de 21 aninhos. Caroline era uma morena que lembrava o verão. Seus cabelos lisos espalhavam-se pelas suas costas. Caroline despertava e finalmente falava:
- Que dia lindo, amor!
- É. Hoje, eu quero que você esqueça tudo que ocorreu ontem. OK?
Caroline silenciava-se uns trinta segundos e dizia:
- Carlos. Apague o dia de ontem. Nem mesmo fale no dia de ontem. Promete?
- Prometo.
- Vamos viajar? Quero esquecer o dia de ontem.
- Era isso mesmo que eu ia lhe propor, Caroline.

Contente com o otimismo de Caroline, Carlos imediatamente ligava para Thiago e confirmava a partida para as dez horas da manhã. O sorriso voltava a tomar os rostos dos quatro amigos.

Na hora marcada, Carlos e Caroline passavam na casa de Thiago e Sabrina para seguirem viagem. Antes de entrarem no carro, Carlos sussurrava:
- Não comentem nada sobre ontem, OK? Ajam como se o dia de ontem não existisse.
- Tudo bem, Carlos. Vai ser melhor assim.
Concordava o casal.

* * *
Algumas horas depois, os dois casais chegavam à pousada na cidade de Armação de Búzios. Caroline já era a mesma de sempre. Exibia seu sorriso costumeiro e não parava de abraçar e de dizer a Carlos o quanto estava feliz. Carlos se sentia mais feliz ainda ao perceber que o sequestro não havia deixado nenhum trauma aparente em Caroline.

Chegavam, se acomodavam, trocavam de roupa e partiam em direção à praia.
Da areia, Carlos, Thiago e Sabrina sorriam e comemoravam ao observarem Caroline se banhar.
- Cara, quanta coisa aconteceu em tão pouco tempo, não?
Dizia Carlos.
- É mesmo. Um sequestro relâmpago, uma viagem e, agora, a nossa alegria!
- Thiago tem razão.
Emendava Sabrina.
- É. Mas nisso tudo tem uma coisa que ainda me incomoda. Como pagarei ao Dr. Ciro o valor do resgate.
Eis que surge uma voz familiar bem atrás dos três jovens:
- Eu já disse que não precisa pagar, garoto!
Com os olhos arregalados, Carlos se depara com nada mais nada menos que Ciro, ali, em carne e osso.

[Continua]

Conto publicado originalmente entre 09 e 13 de outubro de 2007, no fotolog.com/lucianofreitas.

2 comentários:

Nathalia disse...

aiaiai... [2]

haha
adoooooooooooooooooooooooro!

Fabi disse...

esse tal de ciro... rs