sexta-feira, 4 de junho de 2010

LYSA23 - Parte 2

Tropeçando nas próprias pernas, Lysa consegue finalmente chegar em casa. A secretária eletrônica marca quatro mensagens, o que faz com que a jovem se lembre, com muito esforço, da existência de seus pais.

Os pais de Lysa moravam numa cidade do interior do estado. Com o muito orgulho, pagavam os estudos da filha e ainda a ajudavam a manter as despesas do apartamento. Lysa, que afirmava estar sempre “durinha da Silva”, estudava Administração de Empresas e já trabalhava no ramo fazia uns dois anos, porém, sua grana escorria pelos dedos em forma de bebidas e noitadas.

Lysa apertava o play da secretária e desabava no sofá. Como já previra, lá estavam quatro mensagens de seus pais:

- bipe – Lysa, meu amor, é a mamãe. Você está aí?

- bipe – Lysa, dá uma ligada para mamãe. Beijos.

- bipe – Lysa, aqui é o seu pai. Dá uma ligada para a gente.

- bipe – Lysa, é seu pai de novo. Você está aí?

A claridade do notebook ainda ligado no quarto fazia com que Lysa lembrasse de Adler. A vontade que teve foi a de, imediatamente, checar se o rapaz estava on line. Mas o efeito da noitada não a deixava sequer levantar daquele sofá. Não foi preciso mais que dois minutos para que Lysa, banhada em suor e cheirando a álcool, se ajeitasse ali mesmo para dormir.

Naquele misto de sono e alucinação, meio acordada meio dormindo, Lysa não se contém e, ali mesmo, naquele sofá, solta aquilo que seria o último suspiro de toda a sensualidade esbanjada momentos antes na boate: uma masturbação.

Após aquele confuso orgasmo, Lysa se sente um pouco melhor e resolve ir até o notebook. Desabando sobre a cama, com os dedos ainda melados e com forte odor vaginal, Lysa movimenta o cursor e nota uma solicitação pendente no messenger. Era Adler pedindo para ser adicionado aos seus contatos.

Os olhos de Lysa, que antes se espremiam por conta da claridade da tela, se tornavam agora enormes, tamanha era a curiosidade. Lysa aceita o pedido e nota que Adler se encontra on line.

O sono estava levemente despertado, porém, a dor de cabeça se mostrava ainda mais forte, o que dificultava Lysa de identificar a foto de Adler. “Que porra de foto é essa?”, perguntava-se Lysa. Até que:

Adler: oi!

Lysa: oi... acordado já? são 3h!

Adler: no brasil. aqui são 8h! bom dia!

Lysa: ah sim, é mesmo...

Adler: eu que lhe pergunto. acordada já?

Lysa: acabei de chegar em casa rsrsrs to morta!

Adler: então vá dormir. a gente conversa outra hora.

Lysa: não não... podemos conversar!

Adler resolve aceitar o pedido de Lysa e, então, uma longa conversa se dá.

Primeiramente, Lysa pergunta o que de fato seria a foto de Adler, pois não conseguia distinguir bem o que via. Adler explicava ser um de seus desenhos. Sim, Adler gostava de desenhar e, ao invés de uma foto, usava seus desenhos para ilustrar o seu messenger. Lysa, por sua vez, usava uma foto atraente, na qual exibia um rosto lindo e um decote de tirar o fôlego.

A pedido de Lysa, Adler troca sua foto por uma em que de fato o exibia. Lysa já imaginara mais ou menos a aparência do novo amigo, mas não fizera ideia do quão bonito era Adler. O rosto de pele alva trazia traços delicados e um par de olhos bem claros – sem uma definição certa de cor. Os cabelos eram loiros, bem loiros, e muito bem cortados também. A foto ainda dava uma amostra de ombros bem largos.

Lysa: nossa! vc é muito gato

Adler: digo o mesmo de vc

O fato é que o estado de Lysa não ajudou muito no que era para ser um papo entre duas pessoas nos primeiros passos de uma amizade. Enquanto Adler buscava demonstrar seus gostos, sua personalidade, Lysa se concentrava em sua vontade louca de transar. Sendo assim, acabava pondo maldade em toda e qualquer frase dita pelo rapaz. Adler, notando a condição em que Lysa se encontrava, resolveu, depois de um tempo de conversa, entrar na onda.

Adler: vc me parece meio “alta”

Lysa: acertooooou

Adler: adoro mulheres nesse estado

Lysa: dá um pulinho aqui então uhauhauha

Adler: e se eu der mesmo?

Lysa: aí eu te “dou” uahuauhauhauh

Adler: :O

Lysa: soube que vcs guardam coisas enormes entre as pernas huauhahuuha

Adler: meu deus... rsrsrs tem webcam?

Lysa: tenho

Alder: liga

Lysa: ok

Com as câmeras e os microfones de ambos devidamente ligados, Lysa, num estado de alucinação que parecia interminável, subia o vestido e se apresentava a Adler já com a minúscula calcinha à mostra.

- Meu Deus! – diz Adler.

- O que foi? Nunca viu? Hahahahaha!

- Vocês brasileiras são quentes mesmo, não?

- Das outras brasileiras eu não sei, mas eu sou beeeeeem quente!

Adler apenas assistia uma Lysa ardente a se despir. O rapaz parecia não acreditar no que via: uma jovem brasileira linda, completamente bêbada, num strip.

Até que, sabe-se lá o porquê, Lysa parece cair na real. A imagem de um Adler a apreciá-la com o olhar de um javali faminto passou a incomodá-la. Rapidamente, quando se preparava para mostrar os seios, Lysa desliga a webcam, pede desculpas a Adler e se desconecta do messenger.

- Meu Deus – diz a si mesma Lysa –, onde estou com a cabeça, meu Deus? Eu estava me despindo para um estranho! Eu não sou como a Gabriela, ou como a Joyce e a Bruna. Não! Ai, minha cabeça, como dói...

Por fim, Lysa desaba de vez em sua cama para um sono profundo, que duraria até às cinco da tarde daquele domingo.

[Continua]

10 comentários:

Vanessa Sagossi disse...

Que coisa louca!
Garota maluca!
Continua.

Luciano Freitas disse...

Acho que to voltando aos meus tempos de Charles & Valéria...rs

Kayo Medeiros disse...

Yeah Baby, YEAH! =) Assim que é bom. ^^

Nathalia disse...

ahahahaah
adooooooooooooro o Charles!
e nesse caso, ela ta beeeem p uma valéria msm hein... hahahahha

Fabiana disse...

filha perdida da valéria?! rsrs

Yara Lopes disse...

noossa
continuação, por favor

Letícia Machado disse...

Trate de postar essa continuação logoo hein!!!rs

Beijos...

Lucas Moratelli disse...

Caramba!
Que saudade dos teus contos.

Muito bom esse, terrível essa menina!
Gostei. (6)

Abraço Luciano.

Lucas Moratelli disse...

Ahh, tô te seguindo no Twitter. :)

Camys disse...

Existem muitas Lysas por aew, né.
Mas a sua é com certeza a mais ousada que eu conheço, assim como essa história com certeza, já no comecinho, to vendo que é a melhor que você escreveu.
Genial, sensual. Sem se apegar a clichês cafonas e ao passado,sendo extremamente atual e moderna.
Te admiro, escritor Luciano.