segunda-feira, 7 de junho de 2010

LYSA23 - Parte 3

Lysa passava o restinho do domingo numa ressaca infernal. Se isso já não bastasse, a lembrança do que fizera mais cedo frente à câmera para Adler a deixava com nojo de si mesma. “Eu devia estar muito louca, não é possível”, pensava Lysa. Tudo o que queria era ficar quieta em sua cama e esperar pela pesada segunda-feira. Mas, como sempre, Lysa resolvia telefonar para Gabriela.

- Nos abandonou ontem na pista e agora quer conversar, né? – dizia Gabriela.

- Desculpa, amiga. É que eu estava muito mal.

- Todas nós estávamos, Lysa, mas tudo bem. Diga, o que houve?

- Lembra do Adler?

- O alemão? O que tem?

- Ai, amiga... Fiz um strip para ele na webcam, acredita? Estou morrendo de vergonha, Gabriela!

- Está zoando, não está?

- Não. É sério! Eu me despi na frente da...

- Não é disso que estou duvidando, Lysa! Digo que só pode estar zoando com a minha cara quando diz que está preocupada com isso. Porra! O cara mora lá na puta que o pariu, e você me vem com essa? Faça-me o favor, vai...

Definitivamente, Gabriela não era, nem de longe, a pessoa ideal para um desabafo. A superficialidade com que as amigas de Lysa tratavam os assuntos relacionados aos rapazes era medonha. Para Gabriela, por exemplo, os homens deveriam estar empilhados numa prateleira de supermercado, de preferência, no setor de utensílios domésticos.

- Lysa – dizia Gabriela –, quando você vai aprender que homem a gente curte? A partir do momento em que se preocupa com qualquer coisa relacionada a ele, já não é homem, e sim problema!

- OK, Gabriela. A gente se fala...

Lysa sentia que não deveria lidar de forma tão fria aquilo tudo. Adler fora um rapaz encantador e, justamente por isso, a vergonha daquelas atitudes lhe doía tanto. Sentia que o melhor a fazer era pedir desculpas a Adler, mas com que cara? Lysa já se envergonhava do que lembrava ter feito e ainda mais do que não lembrava. “Tenho medo do que eu tenha realmente feito frente àquela câmera”, pensava.

Depois de pensar por mais alguns instantes, resolve ligar o notebook à procura de Adler.

Adler não estava on line, porém, o messenger indicava uma mensagem nova para Lysa. Era um e-mail de Adler.

Lysa,

Sei que deve estar inundada numa maré de confusões. Sei que ontem você exagerou na bebida e acabou fazendo aquilo que lhe veio à cabeça. Não serei hipócrita. Eu gostei muito do que vi na webcam. Mas tenho certeza de que não só de strip se faz uma Lysa.

Fiquei espantado com sua coragem e maravilhado com suas curvas e toda aquela sensualidade. Mas preciso dizer que o que mais me manteve atento a ti foi a quantidade de coisas que temos em comum. Fazia tempo que não conhecia alguém que me fizesse escrever um e-mail como esse.

Queria que você soubesse que não vejo a hora de lhe ver on line novamente, para que eu possa descobrir ainda mais se fomos feitos ou não um para o outro.

Se estiver com vergonha de tudo aquilo, relaxe, pois, se você quiser, eu esqueço tudo!

Beijos,

Adler.

“Como esse garoto sabe sempre exatamente o que sinto e o que espero dele, meu Deus?”, pensava uma Lysa boquiaberta. As palavras de Adler faziam com que Lysa se sentisse outra por dentro. A vergonha e a sensação de descarte davam lugar agora a um sentimento que parecia uma espécie de paixão.

Lysa sabia que o tesão avassalador da madrugada era fruto da quantidade de álcool. Naquele início de noite de domingo as coisas clareavam na cabeça de Lysa: “Estou gostando do Adler, é isso”. Mas ao mesmo tempo uma nuvem negra dizia “vocês mal se conhecem e a distância é um agravante”.

Foi quando Adler ficou on line no messenger.

Adler: oi

Lysa: ooooooi

Adler: leu meu email?

Lysa: sim. vc é um fofo! eu estava realmente muito mal com aquilo tudo

Adler: imagino. mas está tudo bem, ok? foi demais, não posso negar, mas não será o strip que nos unirá. sinto que tem muito mais a oferecer, entende? vc deve ser uma menina maravilhosa

Lysa: maravilhoso é vc. acho que no seu lugar outro cara teria tirado a roupa tb

Adler: é eu sou muito travado para essas coisas. e foi naquele momento que percebi isso rsrsrs

Lysa: olha, me desculpe tb pelas barbaridades q devo ter dito a vc

Adler: está tudo bem, lysa. podemos conversar?

Lysa: claro

Adler: não bebeu, não é? rsrsrs

Lysa: bobo! rsrsrsrs

Lysa passaria toda aquela noite numa conversa séria com Adler, na qual ambos procurariam conhecer melhor um ao outro. E por mais claro que estivesse a vontade mútua de mostrar apenas o lado bom de cada um, naquela noite, Lysa deitaria sobre o travesseiro com a cabeça na Alemanha; completamente envolvida na sedução de Adler.

[Continua]

9 comentários:

Letícia Machado disse...

Jááá acabou??? Preciso que poste denovo urgentee!!!rs...

Bjosss! ;)

Luciano Freitas disse...

Calma, Letícia rs. Nem eu sei o que vem depois...rs

Vanessa Sagossi disse...

Hehehe...
Continuaaa!!

Letícia Machado disse...

Quando sai o seu livro???

Luciano Freitas disse...

Letícia, o meu livro "Contos de Luana" deve sair até o final do ano. Ainda não tem data de lançamento não. :)

Fabiana disse...

cenas do próximo episódio...

Aninha disse...

to adorandooo! continuação já! rsrsrs

Yara Lopes disse...

Muito perfeeeito

Camys disse...

Adorei a Gabriela. Ela que tá certa! Você devia escrever um conto falando mais sobre ela, se bem que nós leitores certamente a conheceremos mais.
E os que já leram devem conhecer melhor que eu xD

E é...Essas tórridas paixões virtuais acontecem bem assim mesmo, até aquelas que não aconteceram durante um strip haha